História da capoeira

 

Capoeira Regional


“Passar bem ou passar mal…
…Tudo na vida é passar…”
Mestre Bimba


Mestre BimbaNascido em 23 de Novembro de 1889, Salvador-BA, Manoel dos Reis Machado foi o maior responsável pela expansão e projeção da capoeira além dos limites da Bahia.

Não podemos falar da Capoeira Regional ou Luta Regional Baiana sem falar em Mestre Bimba, seu criador.

Acreditando que a capoeira que praticava estava perdendo sua essência de luta, Mestre Bimba misturou seus elementos com o Batuque, luta do recôncavo baiano, na qual seu pai era campeão e que utilizava violentos golpes de perna com o objetivo de derrubar o adversário.

Em 1932, Mestre Bimba fundou a primeira academia especializada no ensino da capoeira. Localizada no Engenho Velho de Brotas, bairro pobre onde ele nasceu. Ensinava também em residências. Sua fama cresceu e cinco anos depois ele obtinha o registro de professor de educação física.

O Centro de Cultura Física Regional, aberto em 1937, foi à primeira academia de capoeira do Brasil e recebeu este nome, pois, na época, a capoeira ainda era proibida e só poderia ser praticada em recinto fechado, conforme a legalização de Getúlio Vargas.

E foi o próprio presidente Getúlio Vargas quem legitimou a capoeira, tirando-a do código penal, dizendo: “A capoeira é o único esporte genuinamente brasileiro”, após apresentação de Mestre Bimba, em 1953, no Palácio da aclamação, em Salvador.

Com a Capoeira Regional, nasceram elementos didáticos e simbólicos que influenciaram todos os outros mestres das gerações seguintes.

Mestre Bimba

A sua marca ficou registrada em muitas atividades comuns nos dias de hoje, como o batizado e a formatura de capoeira, além das oito seqüências de ensino, seqüências de balões e os toques da Capoeira Regional, onde cada toque corresponde a um tipo de jogo.

Mestre Bimba morreu em Goiânia-GO, em 05 de Fevereiro de 1974 e marcou todos os capoeiristas com um exemplo de personalidade e carisma que levantou a capoeira, deixando vários discípulos que continuam seu trabalho até os dias de hoje.

[fonte: www.grupocordaodeouro.com.br]

 

Capoeira Angola

 

“Capoeira é mandinga, é manha, é malícia…
…Capoeira é tudo que a boca come…”
Mestre Pastinha


A Capoeira Angola é um dos traços mais nítidos da influência africana nas tradições folclóricas brasileiras, onde ainda hoje, muitos autores discutem se a sua origem é realmente brasileira ou africana.

Dentro da Capoeira Angola, podemos dar destaque a alguns mestres que fizeram escola nesta arte. Entre eles podemos citar os Mestres Pastinha, Waldemar da Liberdade, Canjiquinha, Traíra, Caiçara, Cobrinha Verde, Daniel Noronha, Totonho de Maré e muitos que completariam uma lista imensa, além dos que foram marcados pelo esquecimento.

Mestre Pastinha

Porém, dentre todos estes, Mestre Pastinha foi quem teve um maior destaque e, assim como mestre Bimba, fez com a sua Regional, desenvolveu alguns elementos didáticos e simbólicos para a Capoeira Angola.

Vicente Ferreira Pastinha foi o Mestre do Centro Esportivo de Capoeira Angola, fundado em 1942, de onde surgiram grandes nomes da capoeira como os Mestres João Grande e João Pequeno. Os dois foram e continuam sendo a maior referência da Capoeira Angola do século.

Mestre Pastinha nasceu em 05 de Abril de 1889, escreveu seu livro “Capoeira Angola” em 1964 e em 1966 foi o representante do Brasil no 1º Festival de Artes Negras em Dakar, na África. O governo baiano, através da Fundação do Patrimônio, o despejou de sua academia em 1973, deixando-o na miséria. Veio a falecer em 13 de Novembro de 1981.

[fonte: www.grupocordaodeouro.com.br]